terça-feira, 25 de julho de 2017

Festa na Fórnea

A Fórnea, uma aldeia da freguesia do Piódão, vai estar em festa de 14 a 19 de Agosto.
Eis o Programa dos festejos:




Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Encontro de Gerações no Auditório da Biblioteca Municipal Miguel Torga

O Conselho Local de Acção Social de Arganil em colaboração com o Centro Social e Paroquial de Coja vão realizar um encontro de gerações, no âmbito do Dia dos Avós.
A iniciativa terá lugar no Auditório da Biblioteca Municipal Miguel Torga, no próximo dia 26 de Julho.


Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Praia Fluvial da Barriosa

Hoje fui com a família dar uma voltinha pela serra e acabamos  por ir almoçar ao restaurante Guarda-Rios, situado numa das margens do rio Alvoco,  junto à aldeia da Barriosa.
O restaurante era um antigo lagar e encontra-se rodeado por moinhos junto ao poço da Broca.
Embora já tenha sido tema dum post aqui no Açor,  deixo mais algumas  fotos  deste local paradisíaco. 










Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Festa nas Corgas

Mais uma povoação que vai estar em festa na freguesia de Pomares, durante o primeiro fim de semana de Agosto. Desta vez as Corgas.




Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Poetas da Serra

Uma amiga do Facebook, nascida numa das muitas aldeias da serra do Açor,  vê desta forma a nossa serra.
 

A NOSSA SERRA
Nos ensombrados da nossa serra majestosa
De eólicas como horizontes…
Com serpenteados pela encosta
E estradas atravessando os montes
Serra de linhas rendilhadas…
Cobertas de cores sons e magia
De percursos trilhos e estradas
Processo de harmoniosa sintonia…
O verão trás regresso de vida…
Trás crianças como pássaros a esvoaçar
Quebrando o silêncio que existia
Com gente a rir, colorir, e povoar
Os riachos esses continuam na sua calma
Percorrendo os mesmos socalcos entre outeiros
Sufocados por aquele insistente abraço
De giestas, silvas, juncos e sabugueiros
As represas são memórias…
Já não se regam os lameiros
Hoje contam-se as histórias…
Dos currais, bardos e palheiros.
Recordações que diluídas no tempo
Não perderam conteúdo e cor
Como a saída de um rebento
Quando o sol lhe empresta calor
Pena não ter mais personagens…
Para espalhar mais vida e encanto
E de sentidas e emocionadas imagens
De lágrimas de alegria, se fizesse pranto
São Pereira

Obrigada pela sua presença. Volte sempre!